top of page

A causa do lixo e o dia e o Dia Mundial da Limpeza

Atualizado: 6 de nov. de 2022


Hoje é o Dia Mundial da Limpeza, uma data própria para avaliar como anda a implementação da Lei de Resíduos Sólidos no Brasil. Arrastando-se, esta acaba sendo responsável por vários adiamentos. A lei, de 2010, previa que em 4 anos os locais de descarte irregular, como os lixões, deveriam ter desaparecido. O Marco Legal do Saneamento, em 2020, prorrogou o prazo para as capitais e regiões metropolitanas para 2021 e para as cidades com menos de 50 mil habitantes para 2024. O número de municípios que apresentam alguma iniciativa de coleta seletiva foi de 4.145, representando 74,4% do total de municípios do país, segundo dados do último Panorama 2021 da ABRELPE. As regiões Sul e Sudeste têm os maiores percentuais de municípios com iniciativa de coleta seletiva. Mas 40% do total de resíduos coletados foram depositados em áreas de disposição inadequada, incluindo lixões e aterros controlados, ainda em operação em 2020. O país gera aproximadamente 82,5 milhões de toneladas de resíduos sólidos urbanos (RSU) por ano, ou 225.965 toneladas diárias, com uma cobertura de coleta de 92,2%, segundo os dados da Abrelpe. Os RSU compõem-se de resíduos domiciliares e de limpeza urbana. Quais são os problemas relacionados ao lixo? Os resíduos, mais conhecidos como lixo, são considerados um dos maiores problemas ambientais da atualidade. Se descartados irregularmente podem acabar contaminando a água, o solo e o ar. Por exemplo, resíduos líquidos (lixiviados e chorume) contaminam o solo e águas subterrâneas. A presença de resíduos de remédios, óleos, solventes, gorduras, metais pesados e ácidos também os degradam, impedindo culturas agrárias ou intoxicando as plantas e, consequentemente, os alimentos. Além da nossa saúde, o impacto ambiental pode afetar a vida dos animais e a do planeta. Pneus descartados na natureza levam 600 anos para se decompor, acumulando água que contribui para a proliferação de doenças. Imagens de peixes e animais marinhos afetados ou mortos por poluição do plástico proliferam na mídia. Alguns plásticos têm um processo de decomposição que chega a levar 400 anos e uma parte deles se desfaz em microplásticos que são ingeridos até por nós. O problema do plástico é tão grave para a biodiversidade que 175 países concordaram em março deste ano desenvolver um tratado juridicamente vinculativo para combater a poluição plástica que deverá ser apresentado até o fim de 2024. Um relatório da ONG Oceana Brasil mostra que brasileiros lançam no mar, todos os anos, cerca de 325 toneladas de plástico, uma quantidade enorme que vai para o fundo do mar, na maioria. Apenas 10% ficam na superfície. Produtos e embalagens que consumimos feitos de materiais não renováveis, como o petróleo e minerais, demandam muita energia na confecção, contribuindo para o aquecimento global causador da crise climática que vivemos, entre outros.

A importância do indivíduo para o sucesso das soluções Uma das soluções mais abrangentes para diminuir o impacto dos resíduos sólidos é o modelo da economia circular, que prevê o reaproveitamento dos materiais utilizados na fabricação dos produtos desde o seu design e planejamento. A adoção e o sucesso do modelo dependem, no entanto, de uma logística reversa com práticas adequadas, nas quais o papel da coleta seletiva e do cidadão são fundamentais. A geração de resíduos sólidos urbanos tem relação direta com os locais nos quais se desenvolvem as atividades humanas e resulta do processo de aquisição e consumo de bens e produtos das mais diversas características. Apenas 3% do lixo seco gerado no Brasil é reaproveitado, de acordo com a ABRELPE. Cada brasileiro gera, em média, 1,07 kg de resíduo por dia (RSUs/ dados de 2020 da ABRELPE) e deveria ter responsabilidade pelo seu destino. Mas sabe-se que as diversas associações que hoje se comprometem com a causa do lixo encontram uma grande barreira no consumidor para o descarte correto, embora o tema venha se tornando cada vez mais popular. Diante desse fato, a educação do cidadão sobre o descarte correto de lixo, que envolve inclusive o conhecimento de como separá-lo torna-se fundamental. Uma das iniciativas que venho apoiando nesse sentido é a do World CleanUp Day, que teve ações de voluntários educativas em 191 países em 2021, segundo o Instituto Limpa Brasil que o organiza aqui. As ações são diversificadas, mas na maioria ocorrem em mutirões. Saiba mais sobre o Dia Mundial da Limpeza em - https://linktr.ee/limpabrasil Fontes: ABRELPE – Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais - https://abrelpe.org.br/ ABRERPI - https://www.abrerpi.org.br/ Exame – www.exame.com

Recicla Sampa - São Paulo - https://www.reciclasampa.com.br/ Valor Sustentabilidade – Agosto de 2022 #DiaMundialdaLimpeza #LimpaBrasil #WorldCleanupDay #LetsDoItWorld #LixoZeroNasRuas

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


  • LinkedIn
  • Instagram
  • Twitter
  • Facebook
  • Pinterest

Conteúdo e projetos para uma pegada civilizacional sustentável

bottom of page