• Paulo Eduardo Nogueira

Tecnologias verdes ajudam a proteger o planeta

Vítima de aquecimento global, buracos na camada de ozônio, efeito estufa e emissão sem controle de gases poluentes, como nosso planeta poderá enfrentar e superar esses problemas que ameaçam seu futuro? Uma das soluções pode estar nas tecnologias qualificadas por alguns especialistas como verdes por desenvolver produtos e serviços que não são tão danosos à natureza durante seu uso e após seu descarte. A plataforma britânica Medium, por exemplo, destaca cinco tecnologias que podem dar grande contribuição para um futuro limpo e saudável.


Captura de carbono – Desenvolvido pela empresa Carbon Engineering, esse sistema absorve diretamente do ar o CO2, composto químico responsável pelo efeito estufa na atmosfera, minimizando assim esse problema. De baixo custo, pois necessita basicamente de água e pequenas quantidades de energia, essa captura já atraiu até investimentos de grandes empresas do setor energético, como a Chevron e a Occidental Petroleum Corporation.


Turbinas eólicas multidirecionais – Até recentemente, as turbinas eólicas disponíveis conseguiam captar o vento vindo apenas de uma direção, exigindo seu redirecionamento quando esta mudava. Mas pesquisadores da Universidade de Lancashire, na Inglaterra, desenvolveram um tipo multidirecional de turbina, capaz de captar ventos de qualquer direção sem necessidade de ajustes, além de ser menor e mais barato que as turbinas convencionais. Por causa do tamanho, porém, seu objetivo não será substituir as grandes turbinas, e sim ser instalada em edifícios como fonte suplementar de energia.


Carne sintética – Acusadas de emitir nos pastos gases que aumentam o efeito estufa na atmosfera, as vacas estão com a fama em baixa, a ponto de surgirem várias opções de “carne”, como a de soja. Agora, porém, o laboratório israelense Aleph Farms promete uma novidade: a carne sintética, que não exige pastos (nem vacas), mas é produzida a partir de células. Ainda não comercializada, já que seu sabor ainda necessita de alguns avanços, a textura da carne sintética se assemelha à da carne convencional, o que pode lhe garantir grande aceitação entre os carnívoros. Vários laboratórios ao redor do mundo também trabalham no mesmo projeto, mas o Aleph Farms garante estar mais próximo de sua comercialização.



Jardim vertical Ecotelhado em shopping de Canoas (RS)


Prédios vivos – Embora não sejam uma novidade, prédios que exibem vegetações em suas paredes ainda não se disseminaram pelo mundo, basicamente por causa de seu ainda alto custo (25 metros quadrados de jardim, por exemplo, pode custar até 100 mil reais). Mas no futuro poderão contribuir muito para o bem-estar da população, absorvendo a água da chuva, prevenindo inundações, filtrando a poluição do ar e oferecendo ambiente para proliferação de vida animal.


Fazendas verticais – Também já conhecidas, as fazendas verticais, onde se cultivam plantas e alimentos em cima de edifícios ou vários andares de arranha-céus, porém, ainda não foram adotadas de forma ampla. Ao contrário das fazendas convencionais, que emitem gases por tratores e espalham pesticidas, causando danos ao meio ambiente e a todas as formas de vida, as verticais podem economizar até 95% do uso de água, além de reduzir emissões.


#sustentabilidade #aquecimentoglobal #futurodoplaneta #greentech #climeprotection

0 visualização

©2019 por Comunidade da Inovação. Orgulhosamente criado com Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now